quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Prece de Cáritas






Desejo a todos os amigos do Jardineira de Palavras, um 2010 pleno de paz , amor , harmonia e a certeza que a eternidade é Agora !!!!!!

Feliz 2010 !!!!!!!!

domingo, 13 de dezembro de 2009

PLANTIO DO AMOR

......................................
Plantei um pé de amor
Lá na curva do coração
Deu fruta de toda cor
Sementes de inspiração

Hoje, recordando magias
Pois recordar é colher
Sentirei vida nos meus dias
Daqui até o envelhecer

Ainda um pouco anestesiado
Com tanta, mas tanta felicidade
Tornei-me um louco extasiado
Com a seiva do amor de verdade

E esta árvore que ganhou forma
Tornou-se uma harmônica canção
Para cultivar amor não há norma
É planta que nasce em todo chão

Decimar Biagini

PLANTIO DO AMOR

......................................
Plantei um pé de amor
Lá na curva do coração
Deu fruta de toda cor
Sementes de inspiração

Hoje, recordando magias
Pois recordar é colher
Sentirei vida nos meus dias
Daqui até o envelhecer

Ainda um pouco anestesiado
Com tanta, mas tanta felicidade
Tornei-me um louco extasiado
Com a seiva do amor de verdade

E esta árvore que ganhou forma
Tornou-se uma harmônica canção
Para cultivar amor não há norma
É planta que nasce em todo chão

Decimar Biagini

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

DESCULPEM-ME



Desculpem-me os infelizes, mas estou explodindo de felicidade

Desculpem-me os infelizes,

mas estou explodindo de felicidade
Desculpem-me os insensíveis,

mas quero morrer nesse sentir
Desculpem-me os surdos,

pelo deleite que essa música me traz
E os mal-amados,

porque morro de amor...
Os abstêmios,

pelo prazer que essa bebida me proporciona....
os cansados,

desiludidos,

carentes....
Sou plena, intensamente EU,

amada, desejada, querida.
Desculpem-me os famintos:

delicio-me com esse prato.
Desculpem-me os poetas...

não pretendo fazer poesia...
Sou, simplesmente.
Com toda a liberalidade das paixões,
Com toda a consciência do ser,

do estar,

do sentir,

do querer.
E que venham todos: amados, amantes, mal-amados.
Postem-se, todos.
Meu querer os prostrará.






.

SENDO POESIA...

Sendo poesia ...


Seja poesia, a estrada da existência
que, iluminada à luz do dia,
trafegamos entre descobertas e parecências!

Seja poesia, posto que a noite não demora
e, de uma alma vazia,
a flor da semente dos sonhos não brota.

Seja amargura, ternura, açoite ou seja simplesmente
tudo, pois sendo transcendente e profundo,
o universo da entrega trará um sol para sua noite.

Seja a poesia que encanta e ensina um mundo diferente
e, pelo viés do avesso do conhecimento,
cumpra a sina de percorrer a eternidade num momento.

Ser poesia é mais que fazer versos, é ser o inverso
da compreensão das aparências, e, por dentro e antes e sempre,
colorir o papel do mundo de fraternidade e coerência.

ROUBEI SIM...

ROUBEI SIM...
roubei de ti o coração
e não tente tomá-lo de volta
porque ele está atravancado
no mais profundo recanto do meu ser
tal como a árvore imensa enraizada
por milênios existenciais da natureza...

Eu o roubei...
naquele instante em que me deste teu sorriso
naquele instante em que me estendeste as mãos
naquele instante em que eu já era a poesia por te querer
e num chamado eterno para seguirmos juntos
as estradas da vida... já eramos nós...

Eu o roubei...
roubei o teu coração e te digo:
não hás de tê-lo de volta
porque em troca
dei-te o meu coração repleto de amor
a minha alma iluminada por teus carinhos
a minha vida inteira
para amparar-te...
para aquecer-te...
para amar-te...
amar-te... e amar-te...
eternamente...

terça-feira, 10 de novembro de 2009

TENS ANJOS



Tu és completo, meu amigo.
Tua aura é feita de amor.
Tens almas lindas ao teu redor.
Com peles encantadas,
Que lhe deixam fascinado.
Com sorrisos,
Com abraços,
Tens anjos.
Que sempre ao chegar em casa.
Te abrem os braços.
Mesmo cheio do trabalho,
Nada te rouba o cansaço.
Tens anjos ao teu redor...
Um amor maior –
Beleza que vem de dentro
São verdadeiros amores.
Sorrisos que vêm por prazer,
Lágrimas que correm
Pois delas nada podemos esconder
Mas a cada amanhecer,
Tens anjos bem pertinho de você.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

A TORPEZA DO CIÚME

Eu preciso desculpar-me
Por este torpe sentimento
Eu preciso afastar-me
Do ciúme em sofrimento

Não quero que tome conta
Que desmanche a beleza
Mas o coração apronta
Com o amor e sua pureza

Quisera eu ser um homem seguro
Mas desconfio das coisas plenas
As vezes sozinho no escuro
Sofro de ciúme em duras penas

Onde estará minha musa?
O medo de cair no ápice
O ciúme é dor muito suja
É um veneno em lindo cálice

Mas tratarei de renovar a alma
Ainda tenho alguns dias
Esses dias requerem calma
Segundo o Reiki e as profecias

São coisas que não resolvi
Màgoa da dor que já senti
Em vidas passadas e mal resolvidas
Que voltaram até aqui
Para cobrarem as minhas dívidas

Decimar Biagini

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

DA IMAGEM QUE PERSISTE


Tocando a vela,apaga a luz...o vento tocando impulsiona o sonho de um homem.Que velejando vai amando a brisa,o amor incondicional em estar tendo a verdade de ser feliz.Fazendo o que queres,errando ou acertando,somos nós culpados ou não de ambos os erros.A confusão é plena em todos os corações,sabemos que a disordem norteia os fortes que se escondem e os fracos que se dizem heroi e ficam a plena luz guerreando por míseros ''nada'' minutos de glória.Não to dizendo isso aqui por nada,sei como é injusto o mundo para soletrar em palavras, ás vezes o complicado que somos.Tem gente que ama mesmo,e outros que se esconde por causa da necessidade do sexo,vivendo uma inverdade cravada na realidade da hipocrisia que ele e todos nós vivemos .São pontos de um dia que percebo o quanto muita gente faz falta para gente,onde o estress esta contido nos nossos olhos, que nao pode ver a real beleza das coisas.Quero poder ainda ter um filho,que veja toda as facetas da vida,e que nao seja contaminado com a mesma incerteza de um dia estar assim,não sabendo o que é um fim,não sabendo que a felicidade é o momento do agora,e criando uma imagem maluca de todo o mundo,que está constantemente nesse contraste.

NA ALEGORIA DESSE MOMENTO


Caindo aos prantos, meu rosto alinha lágrimas que desbrava alegria que um dia já foi tristeza. Tentei o pergaminho da esperança para vislumbrar o caminho da saudade, mas o mundo cauteriza agente como se fossemos o útero dos desejos do amanhã.

Trago vocês todos nesse momento de volta para mim, na minha memória onde meus pais estão juntos e meus amigos estão mais perto de mim...em momentos ímpares que vivi na vida.

AS LETRAS SÃO AS MELHORES DROGAS


Terás um momento em que o sentimento será maior que a dor.

Terás um momento em que o amor será mais forte que o erro.

Será um mistério como a morte o meu medo de poder amar infinitamente

Será um dia mais que outro, será outro dia que vou te reencontrar

Por acaso sofra, não precisarei andar mais

Construirei com minhas lagrimas, nuvens negras da dor de despertar do amor se tornar mar de magoas.

Cristalinas são as sementes da solidão de um coração apaixonado querendo germinar em um corpo amado, que vive em um cavalo alado de um sonho qualquer;

do mesmo jeito que cavalgo ao seu alcance nos momentos de sonhos que penso em estar com você mais do que já me contamina,tanto como vive em mim.

Ainda mais assim, que vendo o fim de tantas alianças, percebo como andar mais firme,Perdendo o mesmo risonho sentimento de timidez que se torna sempre defesa no começo de um amor.

Um dia quem sabe, as letras me sustentarão da mesma ânsia daqueles que tentam se drogar para fugir da realidade.

O meu ópio é um amor verdadeiro, consagrando um herdeiro que verás que idéias são fundadas e construídas dentro de corações armados para viver a eternidade do amor e todas suas conseqüências.

domingo, 25 de outubro de 2009

SOLIDÃO, SEGREDOS E AUSÊNCIAS(título dado pelo querido Adilson Barros)

Na mudez da solidão
encarcerei meus segredos
e silenciei tuas ausências.
Tristeza murada
foi gerada em mim
sulcando minha face
corroendo minhas entranhas
acidando meus sentimentos.
Despojada de minha essência
me encerrei no fastiodos dias sangrentos
e nas amarras dos dormentes sonhos.
No cárcere das indagações
repousei meu destino
e entreguei o sopro
do tempo existente
e da intimidade escondida.
Nas armadilhas impostas
fui esfinge e dor
cruz e caminho...
parte de um todo...
rastro da vida
espelho da morte.

PORTA ESTREITA

Estreita é a lacuna do erro
onde o brilho desaparece,
e o Amor entristece
em meio ao desespero.

Estreita é a distância,
entre o certo e o errado,
a benção e o pecado,
quando não existe crença.

Estreita é a distância
entre o ódio e o Amor,
que se transforma em dor
ao viver de aparência.

Estreita é a coragem de viver
que vira covardia,
e aumenta a agonia
chegando a hora de morrer.

LEI

...Tudo que vai... volta, sorrindo com a vitória, chorando na derrota. Pensa, relembra, talvez se arrependa,...dessa vez aprenda.
Quem perdoa será perdoado, quem magoa será magoado. Sei que é difícil parar e escutar, assumir um erro e tentar consertar.

sábado, 24 de outubro de 2009

AMOR A VIDA

Eu amo a vida
Com todos os seus encontros
E desencontros;
Eu amo a vida
Quando o sol nasce quente
E brilhante,
Ou quando a geada
Branqueia nos caminhos...
Eu amo a vida
Olhando ás águas do rio
Correndo mansamente,
Ou num turbilhão,
Precipitando-se abruptamente,
Numa cachoeira;
Eu amo a vida
No cheiro da terra,
No vento que fustiga
As copas das árvores;
Eu amo a vida
Na beleza das estrelas
Que enfeitam o firmamento;
Eu amo a vida
No cantar dos pássaros ou,
No esturro das feras famintas;
Eu amo a vida
No sorriso de uma criança,
Na rebeldia da juventude
E no olhar pacífico de um ancião;
Eu amo a vida
Na alegria e na dor,
Na insolência e no inesperado
Dos acontecimentos,
Com todos os meus arrependimentos,
Na inconstância de seus momentos;
Eu amo a vida
Por sua perfeição,
Por suas cores e matizes,
Por tudo que foi criado
Pela Divina Mão;
Eu amo a vida pelo próprio amor,
Porque a recebi de presente,
Das mãos do Criador.

TRANSGRESSÃO-para meu pai(saudade que ficou)

A vida é uma chama...Achamos que a chama da vida nunca será apagada...Ainda mais quando se é jovem...Quando pensamos que temos toda a vida pela frente...De repente tudo acaba...Partimos e nem podemos dizer adeus...Despedir das pessoas que amamos...Caímos ao chão e sabemos que não levantaremos outra vez...Quem dera se as lágrimas, os gritos de quem ficaram,Fosse capaz de acordar, de fazer viver o corpo gelado...De fazer bater o coração que parou...De devolver o brilho aos olhos cinzentos...Faltava muito para terminar a caminhada...Paraste no meio do caminho...Encontrou a pedra...E o dia terminou antes mesmo de ter começado...O derradeiro dia...Breve...Lindo...E ensolarado...Uma gota que retorna ao oceano...Uma folha que a brisa levou...Uma pegada que na estrada da vida desaparece...A saudade será eterna...Até quando a chama da vida permanecer acesa...

OUVIR O SILÊNCIO

Parem com o barulho!
Precisamos tentar ouvir o silêncio.
Barulho que incomoda o pensamento.
Barulho que destrói um momento.
Barulho que causa um movimento.
Parem com o barulho!
Precisamos tentar ouvir silêncio.
Barulho que tira o merecimento do pensamento.
Barulho que tira o sofrimento do momento.
Barulho que tira a direção do movimento.
Parem com o barulho!
Precisamos tentar ouvir silêncio.
Deixemos o barulho para o intervalo.
Vamos ouvir o barulho no silêncio máximo.

SONHOS PEQUENOS

Sonhos pequenos
Um grande sonho não tenho,
Os meus sonhos são pequenos...
São simples, mas, pelo menos
Com o ser vazio não venho.
Do meu sonhar obtenho
Meus dias calmos, serenos,
Minutos brandos, amenos
E a realidade mantenho.
Somente em sonhar me empenho,
Somente os sonhos são plenos,
Os meus sonhos são pequenos...
E são vulcões que retenho!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

IMPLOSÃO

Inflei
até implodir
em versos
até me encontrar do avesso
vida ao reverso
(in)verso de mim
vi-me traduzida
em palavras
retalhada
pela poesia
abduzida
até me tornar
figura encantada
dispersa
em notas musicais avulsas
no solo das palavras
semeada

ESTRELA MATUTINA

SEU CORAÇÃO É UMA ESTRELA MATUTINA
DE SUAVE LUZ QUE CLAREIA E ILUMINA
OLHE PRA DENTRO DE VC
DESCOBRA O BRILHO DO AMOR
ACENDA A TUA CANDEIA
E FAZ NASCER UMA NOVA MANHÃ!

QUANDO

QUANDO A SOMBRA DA TRISTEZA
COBRIR SEUS SONHOS DE VENTURA
QUANDO VC QUISER CHORAR
DIANTE DA TAÇA DA AMARGURA
QUANDO A DOR BATER A PORTA
FERINDO BEM FUNDO O CORAÇÃO
QUANDO A ESPERANÇA É MORTA
E A VIDA AMARGA ILUSÃO
OLHE PARA TRÁS
VEJA QUANTA DOR
SÚPLICAS DE PAZ CLAMANDO AMOR
OLHOS SEMPRE EM TREVAS
MÃOS MENDIGAM PÃO
BOCAS QUE NÃO FALAM
E RISOS SEM RAZÃO
DEIXE DE CHORAR
VOLTE A SORRIR
VC É TÃO FELIZ
VOLTE A CANTAR
FAÇA UMA PRECE
SEJA GRATO A DEUS
ELE SEMPRE ABENÇOA OS FILHOS TEUS!

A PRECE

A prece não deve ter uma conotação exterior,não existe um local específico para orarmos,a prece não deve ser feita para justificar aos homens que nós temos uma religiosidade dentro de nós,temos que orar na intimidade do nosso próprio espírito. O dever primordial de toda criatura humana,o primeiro ato que deve assinalar a sua volta à vida ativa de cada dia,é a prece. Quase todos vós orais,mas quão poucos são os que sabem orar!Que importam ao Senhor as frases que maquinalmente articulais umas às outras,fazendo disso um hábito, um dever que cumpris e que vos pesa como qualquer dever?Tende como certo que um só desses pensamentos,se partir do coração,é mais ouvido pelo vosso Pai celestial do que as longas orações ditas por hábito,muitas vezes sem causa determinante e às quais apenas maquinalmente vos chama a hora convencional. Se descêsseis ao fundo da vossa consciência,quase sempre depararíeis,em vós mesmos,com o ponto de partida dos males de que vos queixais. Pedi,pois, antes de tudo, que vos possais melhorar-se.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Amor e Fé - Homenagem a Johnny e Larissa

Dos amores que vi e vivi,
confesso que lembrança
não tenho,
de um amor tão singelo
e corajoso,
jovem e repentino
daqueles que muda o destino
de quem ousa vivê-lo
trazendo sempre benção e aprendizado
para os que se atreverem
a ser o que querem,
sendo o que são.
E esta é a primeira lição,
é de dentro para fora
que se faz a evolução.

Sergio Renato Bacellar

terça-feira, 20 de outubro de 2009

CHUVA, O POEMA...SOL!

E o sol,
Anseio profundo
Para o mundo,
Mesmo em passo de pobre caracol,
Destronou a loucura do vento
E o tormento
De uma chuva maléfica,
Sem poema,
Sem diadema,
Sem oração!

Folheio
Cheio
De são lirismo
E tristura
Os longos dias transactos,
Onde o fel dos desacatos
Imperou!...

Percorro os horários,
E os calendários
Do tempo cansado,
Frio,
Que trouxe, em detestável calafrio,
O verso medonho,
Sem sonho,
De um pungir magoado...

Na minha agenda,
Já vem a luz
Que conduz
Ao verso longo,
Infinito,
Com sabor a redenção!

E o sol nasceu,
Na balada da chuva,
Na quimera do vento...

E o sol venceu...
E a chuva emudeceu...
Paragem no lamento!

CUIDA-ME


CUIDA-ME

QUERO TIRAR A POEIRA DO TEMPO
QUERO VARRER AS FOLHAS DO VENTO
LIMPAR A CASA
E CAMINHAR

PROCURO NÃO OLHAR PRA TRÁS
JÁ VIVI O PASSADO
NÃO VOU POR LÁ MAIS PASSAR

NÃO ME CULPE POR OLHAR PRA FRENTE
SOU ASSIM, AS VEZES BEM DIFERENTE
INTRIGANTE
TALVEZ INCOERENTE

NÃO ME DEIXE VOLTAR
CUIDA-ME
DEIXA-ME CUIDAR
SE A FELICIDADE É URGENTE
EU TENHO PRESSA NO CAMINHAR

NÃO VOU REMOER MINH’ALMA
QUERO SERENIDADE E CALMA
QUERO ESSE LOUCO DESEJAR


NÃO TENHO PRETENSÃO DEMASIADA
QUERO A CALMA ACELERADA
AMO
E QUERO SER AMADA!

TENHO FOME DE VIDA
TENHO PRESSA DE CRIANÇA
E...SINCERAMENTE
O MEDO TAMBÉM ME INVADE
FEROZ
ATROZ
COVARDE? ...NÃO!
SÓ TEMPERAMENTAL

MINHAS HORAS JÁ FORAM LONGAS
AGORA QUERO DEVAGARZINHO
SÓ O MEU LUGAR
AGORA QUERO BEM DE MANSINHO
SORRIR
ESTAR
FICAR

TENTO...
UM DIA QUEM SABE APRENDO
UM DIA QUEM SABE VOU ACERTAR


ENQUANTO ISSO
CUIDA-ME
MAIS UMA VEZ
ENQUANTO ISSO
DEIXA-ME CUIDAR

QUERO O LIVRE PASSARINHO
O ROUXINOL NA ÁRVORE
A PRATA DA LUA
O OURO DO SOL
E QUANDO EU ESTIVER TRISTE
CUIDA-ME
E QUANDO VC ESTIVER TRISTE
PERMITA-ME CUIDAR

MINHA VOZ RESIDE NA MINHA ALMA
ASSIM COMO MINHA ALMA SE REFLETE EM MEUS OLHOS
EM MINHA BOCA
EM MEU CORPO
ME CALO!
E NUM CONTRASTE FASCINANTE
GRITO!





SEM CULPA
NÃO VOLTO
SIGO
TIRO A POEIRA DO TEMPO
PLANTO NOVAS FLORES
REGO TONS E SABORES
E ME PRECIPITO
QUEM SABE...

POR ISSO...URGENTEMENTE...
CUIDA-ME
E DEIXE-ME CUIDAR!

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

NOVA ESTAÇÃO


NOVA ESTAÇÃO


PARA COLORIR A ESTAÇÃO
A PRIMAVERA DESPERTOU
VIERAM ESTRELAS
OÁSIS
O SONHO DOS MEUS DIAS
A CHUVA REGANDO A FLOR!

MELODIA
JÁ ERA DIA
CLAREOU!

SURGIU O MEU COMPASSO
NAS MÃOS DE OUTRO SONHADOR
COR VERDE
QUE A CHUVA MOLHOU!

MINHA ALMA ADORMECIDA
MEUS QUERERES INESQUECÍVEIS
A PORTA ABERTA
MINHA MÚSICA
MINHA DANÇA
EMOÇÃO!

AO SOM DE MUITOS TEMPOS
NÃO TEVE RECORDAÇÃO
FUI ERRANTE E SAUDADE
O PRESENTE SE MANIFESTOU!


E EU QUE TANTO ESPERAVA A PRIMAVERA
COROEI MINHA JORNADA
FLOREEI MINHA ESTRADA
FIZ BELO MEUS DIAS

E VC QUE TANTO ESPEROU ESTAÇÕES
ATIÇOU SENTIDOS
ACORDOU ADORMECIDOS
FEZ O DIA NASCER!

E EU DE NOVO
UMA VEZ CRIANÇA
OUTRA MULHER QUE DANÇA
OUTRA VEZ
E VOU!

NÃO POR ONDE PISEI
NÃO POR ALI, NEM POR AQUI
SOMENTE VOU
SOMENTE SOU
SOMENTE VIVA
SOU EXTASE
ESSE EXTASE QUE SE EXTRAI
DAS MAIS BELAS NOTAS DA LIRA
QUE SE ENTREGA AO SOM DO VENTO

QUE VOLTA COMO ONDA
QUE PISA NA AREIA
QUE DESENHA ESTRELA
QUE NÃO OLHA PRA TRÁS
ESTOU!


ESTOU COMO QUEM PODE ESTAR
TALVEZ UM ACORDE
QUE NO TEMPO ANDOU
SOMENTE ESTOU
ME BASTA
O ONTEM...JÁ PASSOU
UM POUCO SERENA, AINDA PEQUENA
MAS ESTOU!

SIGO ADIANTE
PARA UMA TERRA NEM TÃO DISTANTE
COM O CORAÇÃO PULSANTE
COM VONTADE DE FUTURO
MAS SEM MEDO DO ESCURO
COM DESEJO NO PULSAR

COMPONHO AS NOTAS DA VIDA
CURO MINHA FERIDA
FAÇO MINHA PRÓPRIA CANÇÃO

JÁ APRENDI A DANÇAR
E NA PRIMAVERA QUE BROTA
MINHA PRIMEIRA RIMA
É COMPOSIÇÃO DE CORES
É TER DE VOLTA AMORES
É PODER VOAR!

QUEM ME RODOPIOU FOI O TEMPO
COM ELE SENTI MEDO DO VENTO
MAS COM ELE SEI QUE VOU CHEGAR
E VOU!

VOU NOVAMENTE ANDANDO
ME DOMANDO
NAVEGANDO NESSE IMENSO MAR

NÃO VOU POR ALI
NÃO!
NÃO VIM PARA SEGUIR CAMINHOS TRAÇADOS
PLANOS CANSADOS
TRAJETÓRIAS IMPOSTAS

VIM PARA DESBRAVAR O TEMPO
DEVASTAR O VENTO
E SEGUIR MINHA BRISA

VIM PARA SER SONORA
COMO NOS TEMPOS DE OUTRORA
ENFIM ME ENCONTRAR

ENTÃO VOU!
POR AQUI, POR ALI, POR LÁ!

NÃO TENHO UMA NOTA SÓ
TENHO A PARTITURA
MAS POR TERMINAR

O FIM SOU EU QUE FAÇO
PQ MEU CAMINHO HOJE EU TRAÇO
SEJA NO DESERTO, NAS ESTRELAS, NO MAR

NÃO POSSUO A MÚSICA INTEIRA
MAS TENHO VONTADE DE CANTAR

AUDÁCIA
CAMINHOS
TRILHAS
PEDRAS
E FLOR

É PRIMAVERA MEU AMOR!

LARISSA 11 DE OUTUBRO DE 2009-03:11 DA MADRUGADA
VOU!
AGORA NA MINHA PRÓPRIA ESTRADA!

Parar - (texto anônimo)

Parar
Parar, não paro
esquecer
esquecer, não esqueço
se caráter custa caro
pago o preço.
Pago, embora seja raro
pois o homem
não tem avesso
e o peso da pedra
eu comparo
à força do arremesso.
Um rio
só se for claro,
correr sim, mas sem tropeço
e se tropeçar não paro
não paro e nem mereço.
E que ninguém me de amparo
nem me pergunte
se padeço,
se caráter custa caro
                                                          pago o preço.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

A PALAVRA


A palavra quando irrompe da alma merece ser lida, da mesma forma que palavras lapidadas recebem apenas admiração, pois o que é admirar senão apenas uma impressão já formada?A palavra deve fazer refletir. A palavra crua tem potencial imenso e permite que a pensemos da forma que lhe couber no momento, sugerindo novas possibilidades a cada contato. Sou apenas mais um, que sentado à solidão do mundo inteiro, tento aliviar a dor do meu mundo particular escrevendo (...) a vida é feita da soma de cada ínfimo momento. O instante em que nos falamos faz você e eu diferentes do que seríamos se não o fizéssemos.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Ruminação


É a recorrência involuntária
à idéia solitária
da lembrança imaginária
mera ilusão sedentária
que torna a vida temerária
quando teima em existir.
E este ruminar emocional
é o seu viés infernal
rescindindo à ausência celestial
que antecipa o Umbral
que ainda jaz no âmago atemporal
espaço interior da Alma imortal.
Para lembrar, que
de nada adianta ruminar,
remoendo o que já foi, digerido
e que deve ser esquecido
para tornar mais leve
a digestão,
do banquete que a vida oferece
e que não sabemos apreciar,
por termos perdido o paladar,
por insistir em ruminar.
Sergio Renato Bacellar - 22/09/2009

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Ser quem és !!!

Um dia pedi ao Altíssimo
permitir-me apenas ser quem sou
cumprindo sua Divina vontade
naquilo à que me prestou.
Esqueci contudo mais importante
refletido em sua risada,
pela besteira pronunciada
por mim naquele instante.
Como quem revela
a ingênua ignorância
daquele que está distante
sem perceber a audácia
da óbvia falácia
contida na petição
daquele que olvida
a necessária razão, e 
o profundo sentido
de estar sempre 
a Ti unido
em eterna redenção.
Para lembrar finalmente,
que sem Deus 
não há gente,
nem a mínima salvação.
Portanto fez-me ver
o Altíssimo
a besteira do pedido 
em ser o que já sou,
querendo engodar a si mesmo
na miragem que o ego plantou.
Então fica a lição,
do silêncio que vem de cima
ensinando que já és,
aquilo que queres ser.
11/09/2009

domingo, 6 de setembro de 2009

A NATUREZA RETRATA DEUS


Penso que jamais verei
Um poema tão adorável quanto uma árvore;
Uma árvore que no verão pode usar
Um ninho de pintarroxos nos cabelos.
Uma árvore sobre a qual a neve se deita,
Que convive intimamente com a chuva;
Uma árvore cuja boca faminta é comprimida
Contra o peito farto e adocicado da terra.
Uma árvore que olha para Deus todos os dias
E ergue seus braços frondosos para orar.
Poemas são feitos por néscios como eu,
Mas só Deus pode fazer uma árvore.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

O Zen e a compreensão


Não há pressa
na espera
a que se cumpra
a promessa
que ao elo desfaz
mostrando no fundo
o que há por trás
da realidade do instante
da ilusão circunstante
que ao Agora subjaz.
E na serenidade necessária
ao alcance transcendente
a Alma encontra, finalmente,
a Paz além do entendimento
sublimando a razão, e
trazendo uma grande compreensão:
Compreenda você, ou não,
as coisas são como são.
28/08/2009

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

INSPIRAÇÃO


Inpiração
Devaneio ...costurando, em linhas tênues, à procura da palavra do poeta.Embaraçando rabiscos incompreensíveis num papel amassado.Psicografando um surto de inspiração volátil.Concateno palavras desconexas, em busca de um sentido poético,Misturando sentimentos e sensações ao acaso.No silêncio do meu respirar, ouço os flashes da minha memória a capturar frases que não esperam o momento certo.E os dedos, num deslizar frenético sobre as dobras do pequeno espaço branco, frisam o fotografar neural numa imagem real escrita.É o momento ... em que o coração palpita emoções narcisistas e abraça a cria num suspiro suave. É neste instante, congelado no papel,que reside a inspiração, essência do poeta.

domingo, 2 de agosto de 2009

SONETO À REGRESSÃO



Hoje vim lançar versos a te indagar
Arrojo-os como uma sonda a tua alma
A pedra que há no fundo a rima vai tirar
Então não tenha medo, não perca a calma

Quero que durma e acorde no teu passado
Encare então a luz que te cegou ao nascer
Pense na primeira dor do pulmão dilatado
E dos tapinhas que conseguiste esquecer

Agora debruçado sobre o seio materno
Diga-me quem mais mereceria teu carinho
Quem te embalava e agasalhava no inverno

Um poço profundo é um ser que se diz sozinho
Então quero que acolhas meu verso fraterno
A fim de enfrentar a vida relembrando teu caminho

Decimar Biagini

sexta-feira, 31 de julho de 2009

AMAR


A quilo que o Diabo prometeu
M eu ouro não pode te dar
A quilo que veio de Deus
R ecebi, e quis te mostrar


DECIMAR BIAGINI
http://decimarbiagini.blogspot.com

quarta-feira, 29 de julho de 2009

QUANDO UM HOMEM COMEÇA A MUDAR

Ainda que imperfeito porque mal assimilado
Um homem vivia em beleza e magnitude
Sua cegueira fez o castelo se ruir, ficou assustado
Um raio de luz abriu seus olhos, surge a inquietude

Diante de tudo o que perdera, o mais sagrado
Ter tomado um rumo que jamais imaginaria
Em peregrinação da alma, em tom magoado
Utilizou-se de todos os conselhos, buscou energia

Mas parecia que algo ainda lhe faltava
Observou tudo à sua volta, a casa vazia
Tentou corrigir o passado, mas não retornava
Foi então que deu o primeiro passo, fez poesia

Decimar Biagini



terça-feira, 28 de julho de 2009

Alma Nua

Se pudesses saber
o tamanho da dor
que me vai na alma
perceberias, no silêncio
da minha calma
a quietude que advém
da profundidade do agora
no instante em que entendemos
que a infinitude da Alma
é eterna.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Arado poético

É pela poesia que virei a vencer-me
Da dureza fria que não lapidei
E ao esquecer-me entreguei
À morte uma das faces do meu eu

Antes que se extinga reajo
revivendo o sentimento
Na restinga pessoal
Inabitada de emoções
Campo fértil a plantações
Quiméricas vertentes
Que ainda pendentes
Se vêm a murchar
Morrendo na intenção

Mas o arado poético
Às vezes profético
rejeita a extinção
Rasgando o ente
Inoculando a semente
Que traz a renovação

E na primavera pessoal
Mera estação emocional
Não passará
Mas dulcificará
As arestas
revelando as frestas
Por onde vaza o meu amor.

Sergio Renato Bacellar
(Da série trilogia da Alma) - http://religarecafe.blogspot.com/

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Oito princípios Sufis

Consideram como fundamentais oito princípios:
  • Ter consciência da respiração;
  • Ver por onde se caminha;
  • Viajar interiormente;
  • Experimentar a solidão no meio da sociedade humana;
  • A recordação de Allah (também chamado Zikir);
  • O refrear dos pensamentos;
  • O controle dos pensamentos;
  • A concentração no Divino.

Uma característica desta ordem é o "zikr silencioso" (lembrança de Deus), ao invés da vocalização em voz alta como faz as outras ordens sufis. Também faz parte a "oração em movimento" - cada passo e ação é uma lembrança de Deus.

Paroxismo

É o extremo a que chegamos
e sem perceber, distamos,
de nossa essência
esquecendo da consciência,
de ser,
que se deveria manter
para não perder rumo
em meio ao abismo,
como um vão,
que em vão à Alma fende
e que só de nós depende,
a certeza do malabarismo
alcançando assim
o Paroxismo.
01/07/09

Leiam também "Mergulho" no Blog do Religare Café.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

PURA INSPIRAÇÃO


Amor...

É uma palavra simples

Porém composta de vários sentimentos,

É uma palavra doce

Porém tempera qualquer relação,

É uma palavra pequena

Porém engrandece todos os sentimentos,

É uma palavra leve

Porém pesa em qualquer coração,

É uma palavra única

Porém alimenta milhares de seres,

É uma palavra minha

Porém tornou de nós dois,

um só coração.


Pura inspiração-Larissa

Quero voar em seus pensamentos,

voar em todo momento.

Participar dos seus sonhos, seus devaneios...

Sorrir contigo, chorar contigo.

Brindar a alegria da vida,

caminhar de mãos dadas contigo.

Fazer-te amado, fazer-te amigo.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

o último véu

O último véu,
é aquele que não cai
mantendo-nos na posição
que nos retrai
que é sempre pré-condição
que se esvai
na esteira do tempo
nos deixando ao relento.
E as circunstância,
ilusões da instância
onde ainda estamos,
sem perceber,
perdidos ao léo
tentando derrubar,
o último véu.

sábado, 27 de junho de 2009

VÁRIAS CORES FORMAM VOCÊ

.
Seus cabelos pretos brilham
Sua pele branca reflete
Seus olhos castanhos enobrecem
Sua boca rosa, veludo
Um narizinho pontudo
.
Um queixo, lindo, um beijo
E um pescoço macio
Visivel corpo sadio
Me fez gostar mais de você.
.
Suas mãos macias, maças.
Escrevem cartas de amor
Que dizem coisas bonitas
Muitas vezes escritas
em um momento de dor
.
Me toca, faz um carinho
Nunca me esqueça sozinho
Sua sombra no meu caminho
Uma abelha pousa na flor
.
E nessa flor não tem espinho
nunca estou abandonado
Ligeiramente apavorado
como um filhote no ninho
.
André Anlub

André Luiz Anlub [Poeteideser]

GRIPE SULINA OU SUÍNA
.
Agora vem a gripe suína
Já houve a espanhola
Mosquito da dengue
O vírus Ébola
.
Para uns, um modismo
Outros, coisa séria
Uns culpam o otimismo
Outros, a miséria
.
Empurram com a barriga
Cheios de entusiasmo
Cheios de lombriga
Vazias pelo marasmo
.
É culpa do país
Dos governantes
Por ai sempre se diz
Avisa aos navegantes
.
André Anlub

quinta-feira, 25 de junho de 2009

A Alça

. . . Quando penso em você,
vejo a Deus
e encontro a mim;
e no amor que se foi,
mas que não finda
encontro a alça,
que ergue meu espírito
em busca da Luz . . .

segunda-feira, 15 de junho de 2009


OS VIVOS E OS MORTOS

Lya Luft


"Morrer não é ser deletado: aquele que aparentemente nos deixou está preservado no casulo de seu novo mistério, sem mais risco, doença ou tormentos"


Por mais que as notícias falem de crianças assassinadas com um tiro na cara e de mulheres grávidas estupradas; por mais que ao nosso lado, de todas as formas, se banalize a morte, sempre que ela nos atinge sentimos um grande abalo e fundo estranhamento. Ela nos ronda, e mesmo assim não aceitamos a Senhora Morte, cujo aceno vai nos levar também, inevitável. Ninguém sabe quando virá essa surpresa que não quereríamos ter. Chegará, súbita ou sorrateira, dedo dobrado que sinaliza: "Venha comigo, chega de brincar de vida, agora a coisa é real".

Meu primeiro encontro com ela foi a pomba morta de frio que, menininha ainda, encontrei no pátio de casa: pensei que ela estivesse dormindo e a aconcheguei debaixo do casaco. Quando me fizeram ver que estava morta, chorei inconformada. Muita insônia também sofri naquele tempo, quando morreu o menininho de 2 ou 3 anos, filho de um vizinho nosso. Os gritos de agonia daquele pai vararam a noite e chegaram até meu quarto, trazendo susto e terror só de lembrar, por longo tempo ainda. Mais tarde, eu conheceria intimamente a Velha Dama sobre a qual tanto já escrevi: ela abriu-me as portas do mistério e, embora eu nunca passasse da soleira, me fez valorizar mais a vida, os afetos, o que há de belo e bom na natureza, na arte e no ser humano, e me fez acreditar nos laços de amor que ela, a morte, não desfaz.

No recente desastre de avião, que levou num golpe mais de 200 pessoas, está uma prova dramática do quanto vivemos alienados em relação à morte, e quanto ela pode ser cruel. Sabemos de apenas alguns dramas desse acidente: o casal em lua de mel, pais perdendo filhos, dez funcionários de uma indústria francesa premiados com quatro dias no Rio com acompanhante. A lista é longa e triste. Nem precisamos de um cataclismo de grandes dimensões: basta a vida cotidiana, olhar um pouco para o lado, e lá está a morte, trazendo angústias sem medida.

No começo tudo é horrível: só desespero e dor. No choque inicial, palavras e gestos de conforto, embora essenciais, podem até parecer ofensivos a quem sofre tanto. Paciência com a pessoa enlutada faz parte dos cuidados em relação a ela: a dor é natural e necessária. Mas nossa frivolidade abomina silêncio, recolhimento e tristeza; queremos que o outro não nos perturbe nem ameace com suas lágrimas. Então dizemos: "Reaja! Não chore! Controle-se!", embora seja até perverso exigir isso de alguém que está de luto. Uma jovem reclamou que sua mãe, viúva, não parava de chorar. Desconfiei daquela vagamente irritada preocupação e perguntei: "Quanto tempo faz que seu pai morreu?". A resposta veio imediata: "Quinze dias". Sugeri que ela deixasse a mãe com seu sofrimento, para que um dia ela pudesse se recuperar. Porque, mesmo que não haja verdadeiro consolo, existe a possibilidade de, a seu tempo, cada um se recompor. Ainda que a gente nunca mais seja a mesma, mudar não é tornar-se pior. Faz parte desse processo, entender que a melhor homenagem a quem se foi é viver como ele gostaria que a gente vivesse. Esse é um dos segredos de não sobreviver como vítima que se arrasta indefinidamente, mas como quem reencontrou em si, de uma outra forma, o que parecia perdido.

Quando seus amigos choravam porque ele fora sentenciado, por uma sociedade preconceituosa, a tomar veneno, o grego Sócrates os censurou: "Por que se lamentam assim? Se a morte for um sono sem sonhos, que bom será. Mas, se for um reencontro com pessoas queridas, que bom será também!". O tempo vai preservar e iluminar os melhores momentos havidos. Talvez passemos a valorizar menos o dinheiro, o sucesso, a beleza e o poder. Seremos mais abertos à vida, mais gentis com os outros, mais bondosos conosco mesmos. Morrer não é ser deletado: aquele que aparentemente nos deixou está preservado no casulo de seu novo mistério, sem mais risco, doença ou tormentos. Não vai envelhecer nem sofrer nem se apartar de nós, os vivos. E não o perderemos nunca mais.

sexta-feira, 12 de junho de 2009


FOI O TEMPO QUE DEDICASTE A TUA ROSA QUE FEZ TUA ROSA TÃO IMPORTANTE

(o Pequeno Príncipe)

HOJE ROBERTA PARTIU


Um dia chegamos debaixo de muita alegria e muitas lágrimas de felicidade. Um dia partimos debaixo de muita tristeza e lágrimas de saudades. Este é o sentido da vida...Vamos indo e vindo. Nos amamos e estaremos sempre juntos. O Amor nunca separou ninguém...É o maior fator de União entre todos nós. Não existe partida e nem chegada, apenas o ir e vir. Estamos juntos aqui e logo depois acolá. Ela não partiu apenas porque não podemos enxergá-la devido as nossas limitações. Ela vive em um plano que ainda não podemos perceber. Logo a lágrima da saudade se converterá no pranto do reencontro cheio de Felicidade e Carinho. Não aprenda a viver sem ela....Aprenda a não esquecê-la!!! Pois ela jamais gostaria de aprender a viver sem voce e nunca pensaria em esquecê-los. Não desaparecemos, apenas mudamos de plano onde os nossos carinhos, afeições e Amores continuam sempre vivos na Eternidade.Paz e Fraternidade!!!



http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=45596632

ESTA COMUNIDADE FOI FEITA PARA TODOS AQUELES QUE CONHECEM A ROBERTA, PARA SEUS FAMILIARES E TAMBÉM PARA AS PESSOAS QUE NÃO A CONHECEM, MAS QUE ESTEJAM DISPOSTAS A DOAR UM POUQUINHO DO SEU TEMPO PARA UMA ORAÇÃO POR ELA.Aqueles que creêm em Deus como seu único e verdadeiro Salvador assim como crer a Roberta, pedimos que orem, rezem, peçam, seja lá qual for sua religião, não importa. O importante é nos unirmos em uma fé verdadeira para pedir a sua cura.Por isso recorremos ao O MÉDICO DOS MÉDICOS - JESUS CRISTO!

ps. Hoje Roberta deixa esse mundo terreno e vai de encontro a verdadeira vida. Agradeço todos aqueles que oraram e estiveram perto dela. Cheia de sonhos, ela deixa saudade. Nossas orações devem continuar, pois ela VIVE!

Larissa

sábado, 6 de junho de 2009

VALSA DO DESENCANTO


Ando procurando um jeito de beijar tua boca

E me distrair

Cantar mesmo soluçando os cantos chorosos

Que me fazem rir

Amo mesmo exatamente pois, amar é tudo

Que se faz ou não

Agarro feito uma criança sugando forte o teu coração

Meu coração...

Eu falo só das coisas tristes que saem do meu peito

Cheio de amor

Disfarço além da incerteza pois, meu pensamento

É forte e não tem dor

Durmo e sonho com teus braços

Imitando abraços que eu já te dei

Me perco nas tuas mordidas que hoje são feridas

Que não somem mais... E nunca mais...

Ando procurando um jeito de beijar tua boca

E me distrair

Cantar mesmo soluçando os cantos chorosos

Que me fazem rir

Eu Amo mesmo exatamente pois, amar é tudo

Que se faz ou não

Vagar feito uma criança sugando forte o teu coração

Meu coração...Eu falo só das coisas tristes que saem do meu peito

Cheio de amor

Disfarço além da incerteza pois, meu pensamento

É forte e não tem dor

Durmo e sonho com teus braços

Imitando abraços que eu já te dei

Me perco nas tuas mordidas que hoje são feridas

Que não somem mais... E nunca mais...

Deixo as coisas e teu pranto

Não me chames tanto

você já Morreu...

sexta-feira, 5 de junho de 2009


NÁUSEA

SEMPRE PENSEI QUE A POESIA FOSSE DE OURO OU DE PRATA
TALVEZ ATÉ, MAS POUCAS VEZES, DE BRONZE
PORQUE NA MINHA MENTE INOCENTE
POESIA SEMPRE FOI O MAIS RICO DOS SONHOS

ENTÃO, ABRIRAM UMA PORTA ENORME EM MIM
A PORTA DO MEU INCONSCIENTE
E ALI, A POESIA ERA PODRE, DEFEITUOSA, FEBRIL
E NÃO TINHA NEM DE PERTO OURO OU PRATA

COM ESSA POESIA FEBRIL
AINDA ESCREVI VERSOS DOENTES
VOMITAVA A PODRIDÃO DO MUNDO
E SENTIA AS MAIS TERRÍVEIS DORES EM CADA LINHA

QUANTO MAIS AMARGA FICAVA MINHA BOCA
MAIS PALAVRAS ERAM ESCRITAS PELA MINHA MÃO
QUANTO MAIS MEU ESTÔMAGO SE REVIRAVA EM DORES AGUDAS
MAIS VIA COM CLAREZA QUE POESIA PODE RETRATAR A PODRIDÃO

POESIA É A MAIS PURA DOR
POESIA É A MORTE PRECOCE
POESIA É O VERSO DOS MORTOS QUE AINDA VIVEM
E EU ESTOU AQUI, ESCREVENDO POESIAS

MEU CORPO, HOJE FRACO, RETRATA AGORA TODA A FEBRE DA HUMANIDADE
AI DE VÓS! GENTE FEBRIL! ONDE O CIGARRO INVADE TUA RESPIRAÇÃO!
ONDE O PRAZER EFÊMERO ENTOPE SEU CORAÇÃO
ONDE O PÓ, BRANCO COMO VÉU DE NOIVA, DESTRÓI SEUS NEURÔNIOS E SUA VISÃO
ONDE SUA MENTE JÁ ESTÁ TOMADA DE TODA ESSA SOLIDÃO!

AI DE VÓS, GENTE INFELIZ! QUE CONHECE TODO O PECADO DESSE MUNDO E SE ENTOPE DE PRAZERES EFÊMEROS ONDE A MORTE PODE TE AVISTAR DA PRIMEIRA ESQUINA, NUM PRIMEIRO OLHAR
AI DE VÓS, QUE ENTOPEM O MUNDO COM O VÍCIO DA INTOLERÂNCIA E DA MALDADE, QUE MALTRATAM VÓS MESMOS COM A IGNORÂNCIA DA DEPRESSÃO!
JÁ OLHAI OS QUE TEM FOME?
JÁ OLHAI OS QUE TEM SEDE?
FERIDAS NASCEM POR TODA PARTE SEM QUE ELES QUEIRAM, POIS AINDA TEM GENTE QUE LUTA PRA VIVER!
E VÓS? QUE PLANTAM FERIDAS NA MENTE E TEM A MESA FARTA NO JANTAR!
E VÓS? QUE SUSTENTAM A FUMAÇA DA DESGRAÇA NO PRÓPRIO CORPO E TENDES A ÁGUA MAIS LIMPA PARA BEBER!
SOIS VÓS OS FAMINTOS
SOIS VÓS OS SEDENTOS
SOIS VÓS OS IMUNDOS QUE FREQUENTAM A FALSA LIMPEZA DA HUMANIDADE
SOIS SUJOS E JÁ VOMITO POR VÓS
MINHA CURA ESTÁ NA CURA DA HUMANIDADE, POR ISSO ESPERO MINHA MORTE

NADA MAIS CONSEGUE TAMPAR MEUS OLHOS E OUVIDOS
ENXERGO COM CLAREZA, PORQUE PREFIRO SER UM BICHO SELVAGEM, A SER UM HOMEM DITO RACIONAL
O SANGUE ESCORRE PELAS MINHAS MÃOS ONDE ESCREVO OS VERSOS
A VIDA SE FINDOU E VOCÊ SEQUER SE VIU NO ESPELHO
A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE ESCORRE PELOS MEUS OLHOS, CAI NO MEU BRAÇO, ESCORREGA LENTAMENTE ATÉ CHEGAR NOS MEUS DEDOS
PERCEBO QUE JÁ NÃO ESCREVO VERSOS

ERGO MINHA CABEÇA CANSADA PARA O CÉU NA ESPERANÇA DE ENCONTRAR DEUS
MAS SÓ VEJO NUVENS ESPARSAS E UM INFINITO CINZENTO
NÃO FAÇO NENHUMA PRECE, NÃO TENHO NENHUMA PROMESSA
SÓ O QUE TENHO É O ESTÔMAGO REVIRADO QUE VOMITA TODA MISÉRIA

MAIS UMA VEZ OLHO PARA O CÉU, DESTA VEZ NA ESPERANÇA DE ENCONTRAR UMA RAZÃO
ENTÃO VEJO QUE NÃO HÁ MAIS NUVENS E QUE O INFINITO SE TORNOU AZUL

SINTO NO CORPO UM LENTO CALOR DE COR DOURADA
MEUS LÁBIOS OPACOS ESBOÇAM UM SORRISO DE QUE A POESIA PODE SER DE NOVO DE OURO E PRATA!
ABRO MEUS OLHOS, ESTÁ ESCURO LÁ FORA
A LUZ DO QUARTO ACESA ME RETORNA À REALIDADE
LEVANTO LENTAMENTE E VOMITO O SONHO PERDIDO
A DOR QUE AINDA SINTO
POESIA DE OURO E PRATA?
SÓ PARA AQUELES QUE MORRERÃO DE FOME E DE SEDE!

Larissa 00:29 02 de dezembro de 2007

domingo, 24 de maio de 2009

DESENHA




Desenha-se o silêncio no horizonte tardio,



raiado de finos oiros do astro mor,



e seu contorno ora esgrime-



e noutras voltas oprime -



aquela que o olha emornecida de profundo e alvo amor.



Ó noite que te aconchegasem seus braços frios e dormentes,



responde-lhe, se é que podes,



com que fins tu sobes como cinzelada ermidade



sonhos e ilusões ausentes.



Pudessem as estrelas contar-te!...



Mas seu feito é de tal grandeza,



que bocas mil se espantam



outras tantas se encantam no exemplo feito vida,



na dor feita firmeza.



Quantos soluços são abafados nas horas que em ti se estendem?



Quanta ânsia amordaçada,



quanta lágrima ocultada,



nesta tua tarde esmorecida.



E quão poucos os que isto entendem:



pior do que morrer na morte,



é a dor de sofrer a morte em vida.




com carinho, Larissa-24/05/2009

CORAÇÃO NAVEGANTE

Os movimentos do mar
Me trouxeram novamente
Para finalmente atracar
Plantei uma semente
Para que pudesse te reencontrar
Criou-se árvore diferente
Um faról dislumbrante
Referência de navegante
Casa em terra firme
Porto seguro e aconchegante
Amor tão sublime
Que fez me teu eterno amante
Sempre a descobrir
Sensação intensa e viciante
No prazer de te sentir
Como se não houvesse o antes
Acho que os anos irão se passar
Com aquela certeza que teremos no olhar
E as eternas ondas da vida
Virão com gotas silenciosas de saída
Despercebidas, frente ao nosso beijar
E a casa se fará mantida
Para que o casal possa nela descansar

Decimar Biagini

sábado, 23 de maio de 2009


VIM TE BUSCAR


Hoje vim te buscar no meu pensamento
Quem me trouxe até aqui soprou forte
Foi o vento

Na viagem colhi fruta madura
Flores do campo pra te aliviar
Vi pássaros, ouvi trovões
A chuva veio pra me molhar

Não resistindo ao encanto da chuva
Deixei a agua cair sobre o meu corpo
Lavei a alma e coração
Senti leveza
Quis voar

Meu vôo foi intenso
Comecei tirando devagarinho os pés do chão
Aprendi a flutuar
Uma andorinha que andava apressada parou para olhar
Me convidou para com ela ver o verão chegar

Assim fomos juntas
E como mágica comecei a voar
Voava leve e solta
Vi terras, cachoeiras e florestas
Num instante já estava no mar

Nadei com baleias e golfinhos
Conheci a estrela do mar
Mergulhei nas profundezas do oceano
Vi corais e navios perdidos
Vi a vida atë então desconhecida
Vi a luz da lua a jorrar na ägua o encanto do luar

De volta estava com os pés na terra
Já estava quase lá
De tão lindo que foi caminho
Jurei um dia voltar

Te encontrei sozinho, sentado num canto a chorar
Me aproximei de mansinho sem saber o que falar
Não sabia o que houvera
Nem tampouco como parar
De repente a primavera
Veio com as flores perfumar


O perfume exalou
De novo quis voar
Desta vez minha companhia
O vento ajudou a carregar

E Entre terras tão distantes
Não mais quis te deixar
Vem comigo meu amor
Este mundo desbravar!


Larissa

quinta-feira, 7 de maio de 2009

SENTIMENTOS



O que me diz seu olhar?

Seu olhar me diz tudo

e não só diz,como também seduz me encanta, paralisa, me acalma.

Seu sorriso é mágico!

Me traz alegria,esperança; me faz acreditar que tudo é possível.

É a cura de todos os meus males ,de todas as minhas fraquezas.

Seus gestos simples me impressionam, me confortam,me trazem ternura.

Você me faz viver cada dia intensamente e me faz querer aprender mais e mais contigo.

Seus pensamentos,difícil entender ! são complexos.

Me fazem refletir sobre tudo que existe. Te entender...é algo que eu sempre tento.

Mais que os seus sentimentos, sua alma é nobre ,é pura, é um grande raio de luz que ofusca meus olhos com o seu brilho, que me faz querer acreditar que o bom e o certo ainda existem.

Meu coração bate cada vez mais forte.Ele sorri para ti porquê você alimenta este sentimento.

Você transformou o impossível em possível, e mostrou que um coração não vive sem carinho.

Você estendeu suas mãos para mim e eu em uma única oportunidade segurei a sua.

Me senti segura.

Você faz parte de mim e eu de ti.

Resgatamos nobres sentimentos.

E eu procurava a ti e você a mim.

Dois corações...juntos...em um começo sem fim !


Larissa-07/05/2009-22;45

quarta-feira, 6 de maio de 2009

JARDINEIRA DE PALAVRAS: SENTIDOS

JARDINEIRA DE PALAVRAS: SENTIDOS

SENTIDOS


O mais provavel entre dois amantes é a convicção do sentimento completo, coisa de pele.Queima sem ter fogo, acende sem fagulha.....Doi sem tormento, é muito forte vem de dentro, faz sentir um ao outro, não consiste em durar mais gera falta, atrai....feche os olhos e sinta, é muito mais que uma cor, corroi a culpa, promulga, mas é de sempre......Coisa de Pele.É ter sua lembrança estampada com meu desejo, marcada pelo beijo, atribuida a seus braços num simples toque no rosto, um aperto, o som do respirar, palpitação sem manipular. Coisa de pele é ter perto de mim algo que não está numa pequena lembrança, em um flash um piscar.........

segunda-feira, 13 de abril de 2009

ENFEITIÇADOS

Num casal, linda magia a acontecer

Como que bebendo uma poção
O amor renasce, vindo a florescer
Pouco a pouco, em cada coração

Em meio a tantas idas e vindas
Em que cortavam-lhes a seiva
Então surgem histórias lindas
Na busca de nova alternativa

Sentados ante a luz do futuro
Gostando de forma construtiva
De mãos dadas no semi-escuro
Entregam-se de forma decisiva

Sem medo de tentarem algo novo
Permitem-se confiando no instinto
Mantêm segredo diante do povo
Fingem chorar pelo amor extinto

Ocultando a verdadeira alegria
Acreditam novamente no amor
Encantados com a plena magia
Contemplam-se sem o dissabor

Decimar Biagini, 13 de abril de 2009

sexta-feira, 3 de abril de 2009

LÁGRIMA DE AMAR


LÁGRIMA DE AMAR

Uma face
Um olhar
Uma lágrima
Gosto de mar
Que num instante é aparada pelo dedo
A imensidão numa pequena mão
O dedo que segura a lágrima
O infinito numa fração
Aqui o tempo não conta
Estancou
Junto com o pranto que o infinito levou
Através do dedo que segura o mar
Através do sentimento que só tem o olhar
Olhos marejados de amar
Lágrima que cai na boca
Que engrena o tempo
Na sofrida ânsia de beijar

Larissa Fortiori-03/04/2009

LÁGRIMA DE AMAR

LÁGRIMA DE AMAR

Uma face
Um olhar
Uma lágrima
Gosto de mar
Que num instante é aparada pelo dedo
A imensidão numa pequena mão
O dedo que segura a lágrima
O infinito numa fração
Aqui o tempo não conta
Estancou
Junto com o pranto que o infinito levou
Através do dedo que segura o mar
Através do sentimento que só tem o olhar
Olhos marejados de amar
Lágrima que cai na boca
Que engrena o tempo
Na sofrida ânsia de beijar

Larissa Fortiori-03/04/2009

quinta-feira, 26 de março de 2009

AOS QUE SE FORAM

AOS QUE SE FORAM

Aonde o sol não arde mais
Aonde a Lua não aparece
Espero que esteja em paz
Todo ser que um dia falece

Para recompor a paisagem
Sem aqueles entes queridos
Deixo a minha mensagem
Para não serem esquecidos

Quando o véu da morte
Quebra o relógio da vida
Fica no amigo o corte
Sem que cure a ferida

Qualquer fato liga a algúem
Quando recente a lembrança
Embora partindo para o além
Da despedida não se cansa

Que Deus leve o ser amado
A Ele não se pergunta o porquê
Não basta só ter chorado
É preciso com a morte aprender


Que quem desce já vem morrer
Nasce rosa e espera murchar
Pode ir mais cedo se um corte sofrer
Pois pode Deus a flor arrancar


Decimar Biagini, 26 de março de 2009

segunda-feira, 23 de março de 2009

MIL PEDAÇOS

http://www.youtube.com/watch?v=NUyeTmbSlBI&feature=related

MEU AMOR E MEU FUTURO


Se no futuro eu vier a escrever um romance
Direi que quem ama sempre terá nova chance
Darei esperança aos mais desacreditados
Direi que amores antigos deixam legados

Todos querem significar algo mais
O problema é que no ódio dizem jamais
O importante é acreditar no amor
Seja ele como for, com ou sem sabor

Não existe um manual para o sucesso
O amor toma fórmulas e cursos indefinidos
Um grande amor sempre terá regresso
Pois não se deleta os momentos vividos

De sorte dizer que há tempo para tudo
Mas nunca é tarde para o amor verdadeiro
De nada adianta manter isso lá no fundo
Devemos expressá-lo ainda que passageiro

Decimar Biagini, 23 de março de 2009

NO AMOR E NA GUERRA




NO AMOR E NA GUERRA

DOS LABIRINTOS FIZ O AMOR QUE DESEJEI
NA NEGAÇÃO MAIS AMPLA DE UM IDEAL
DE MUITAS COISAS NÍTIDAS ABDIQUEI
NUMA CARACTERÍSTICA DE ENTREGA CARNAL
FOI ENTÃO QUE ME MACHUQUEI
CURAM-SE OS CORTES COM SOPRO FATAL

PERTENCER AO SELETO GRUPO DOS QUE AMAM
FOI MAIS QUE UM MOTIVO DE ORGULHO
MELHOR OS QUE TENTAM DO QUE OS QUE RECLAMAM
DE NÃO ARRISCAREM NO AMOR SEQUER UM MERGULHO

A DISCIPLINA FOI CONCEBIDA POR REGRAS
O AMOR FEZ COM QUE EU RASGA-SE A CARTILHA
PERDEM BATALHAS E NÃO AS GUERRAS
OS QUE TENTAM CAÇAR SEM AUXÌLIO DA MATILHA

LOBOS, ANJOS, PASTORES, OVELHAS E DEMÔNIOS
TODOS BUSCAM ALGUMA SATISFAÇÃO
É PRECISO TER CUIDADO COM ALGUNS BINÔMIOS
POIS ALGUNS PERSONAGENS SÃO PURA ILUSÃO

ESQUEÇAM OS REGRAMENTOS MORAIS
DELETEM A PALAVRA NUNCA MAIS
POIS QUEM ENTRA NESSE JOGO
DEVE POR SUA MÃO NO FOGO
PARA QUE SE ENTRE NO ROL DOS CASAIS

TUDO GIRA EM TORNO DA CONFIANÇA
ACIMA DE TUDO EM SI MESMO
POIS QUEM AMA NÃO SUFOCA NEM CANSA
ACREDITA E APOSTA AS FICHAS A ESMO

DECIMAR BIAGINI, 23/03/2009

domingo, 22 de março de 2009

Rio da Vida

RIO DA VIDA

Depois das linhas e marcas do tempo
Fiz da minha alma um rio permanente
Mudando o relevo com chuva e vento
Por meses remando contra corrente

Como que querendo encontrar parada
Procurando algum poço em um estreito
Acalmei-me e ali vi minha canoa virada
Pois na calmaria é que se vê o desleixo

Num contraponto da saudade de mim mesmo
Segui novamente sem rumo, solidão a esmo
No horizonte da trilha de almas pesqueiras
Troquei as águas por fantasias costeiras

Vi sobras do tempo, moinhos d"agua
Percebi que a agua era traiçoeira
Ao passo que compõe o homem
Seus efeitos também o consomem

No remanso olhei de novo para a canoa
Como que sentindo o dever me chamar
Fiz da agua versos remando sem proa

Enquanto meu coração sangrava
Pelo fio do passado ainda presente
A cicatriz no remar se fechava
Pois só esquece quem segue em frente


Decimar Biagini, 21 de março de 2009

quarta-feira, 4 de março de 2009

QUANDO


Quando...

Quando não nos importávamos,

Com que intensidade nos amávamos.

Quando não ligávamos,

Para o motivo de nos amarmos.

Quando não prestávamos atenção em nada,

Por causa do nosso amor

.Quando éramos jovens,

Para nos amar.

Quando era a época,

Em que havia lugar em nossos corações para amar.

Quando sofríamos pensando,

Que não nos amávamos o bastante.

Quando havia tempo,

Para pensar que éramos apenas amantes.

Quando enfim percebemos,

Que não éramos amantes e sim prisioneiros do amor.

Quando nos libertamos,

Percebemos que não havia mais tempo para nos amarmos.

Isso era quando pensávamos que nos amávamos.

Mas nós só éramos,

Acostumados a achar que éramos amantes.

Quando o amor aprisionou nossos corações...


com carinho

Larissa

PARA APRENDERMOS...


Eu aprendi...

...que ignorar os fatos não os altera;



Eu aprendi...

...que quando você planeja se nivelar com alguém, apenas esta permitindo que essa pessoa continue a magoar você;



Eu aprendi...

...que o AMOR, e não o TEMPO, é que cura todas as feridas;



Eu aprendi...

...que ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa;



Eu aprendi...

...que a vida é dura, mas eu sou mais ainda;



Eu aprendi...

...que as oportunidades nunca são perdidas; alguém vai aproveitar as que você perdeu.



Eu aprendi...

...que quando o ancoradouro se torna amargo a felicidade vai aportar em outro lugar;



Eu aprendi...

...que não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito;



Eu aprendi...

...que todos querem viver no topo da montanha, mas toda felicidade e crescimento ocorre quando você esta escalando-a;



Eu aprendi...

...que quanto menos tempo tenho, mais coisas consigo fazer.



(William Shakespeare)

PS. NA VERDADE ESTOU TENTANDO APRENDER, É MUITO DIFÍCIL, MAS NÃO É IMPOSSÍVEL!

BEIJOS

LARISSA



terça-feira, 3 de março de 2009

SAUDADE


SAUDADE


É a falta

Do que passou.

Momentos bons

Que não voltam mais

Infância querida

Primeiro amor

Primeiro beijo

Amigos inesquecíveis

Ninguém vive sem saudades.

São como molas propulsoras

Que impulsionam nosso dia a dia

E o que mais machuca

É a saudade daquilo que deveria ter sido

E não foi

Da oportunidade que passou

Da felicidade que escapou

Saudade é a certeza

De que o tempo

Nunca volta atrás


beijos-Larissa- (Foto: eu com 3 anos no carnaval em Pedra Azul com minha tia)
clique em comentários abaixo do texto!

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Quem cala pode virar um poeta

http://www.youtube.com/watch?v=xDX2TxpuokE (Quem Cala Pode Virar um Poeta)


Como é misteriosa, intrigante e sofisticada a expressão de um poeta
Ela rompe o cárcere intelectual e enriquece o prazer de viver
Quanta inspiração no profundo de sua alma permanece ainda secreta
Embora seja vítima de incompreensão, ainda insiste em escrever
Com a boca deixa a desejar diante de seu teclado ou sua caneta
Tudo por que não domina sua emoção ansiosa no que vai dizer
Pois seus pensamentos vão muito além de sua fala
Prolixo e divagador, tudo é inspiração quando no que escreve põe amor
Então cale a boca poeta, e simplesmente escreva
Pois quem o entende nesta arte, confundir-se-á entre inspirador e receptor

Decimar Biagini, 18 de fevereiro de 2009

O INÍCIO

Tudo começou pelas idéias e confesso que demorou até chegar ao papel. Depois de alguns anos, os papéis ficaram amarelados e resolvi digitar tudo. Então percebi que era muita coisa, muitos sentimentos, muitas flores e muitos espinhos.O incentivo que dava à minha mãe para publicar um livro, passou ser o meu incentivo.Nos meus escritos, por assim dizer, tem um pouco de tudo, um pouco da vida, falo da natureza, das coisas simples, sofisticadas, de mim, de alegrias, triztezas, decepções, drogas e vontade de ver pessoas cada vez melhores a fim de construir , ou reconstruir esse mundo para legá-lo a gerações futuras.Sou jurista e não advogada. Não advogo porque não é minha vocação. Adoro ler e estudar, por isso migrei para a área científica do Direito.A minha verdadeira vocação é ARTES. De todo tipo: Dança, teatro, Artes plásticas, música, fotografias!Sou do tipo de tem ALMA DE ARTISTA. Sou cheia de ideais e esse fato muitas vezes me leva à profundas decepções, mas também tem suas recompensas. Então fico com as recompensas!Tenho um propósito bem latente hoje: O COMBATE ÁS DROGAS. A Droga é um Câncer e não prejudica e mata só quem a utliliza, destrói também a família.Poesia, hoje para mim, é um modo de vida. Uma maneira que encontrei para descarregar sentimentos oprimidos. Então escrevo muito. Tenho poesias mirabolantes até as mais singelas.MÚSICA: ahhhh, a música, o que seria do ser humano sem uma melodia. Apesar de já ter feito piano, violão e flauta, não toco, mas gosto de ouvir as mais variadas canções e os mais variados artistas. Comecei a valorizar também a música sem rótulos. Sim. Aquele que seu vizinho compôs e você acha bonita, aquela que você compôs e gostaria de gravar. Eu, por exemplo tenho várias letras de músicas, só falta a melodia-por pouco tempo!O verbo desse blog é FAZER!Já deixei de ficar de braços cruzados a muito tempo. Sempre fiz. No meu tempo...mas sempre fiz!Consigo hoje, pensar 10 vezes antes de falar, pois posso magoar alguém ou minha fala pode ser fruto de uma mentira ou fofoca, então procuro cultivar a fala amorosa e deixar de lado a fala imprópria e inadequada.Por muitos anos analisei a palavra PERDÃO; e sinceramente acho muito difícil perdoar. Então arranjei uma saída: NÃO ME OFENDER! Dessa forma não preciso perdoar, porque não fui ofendida.Gosto muito de ler e estudar filosofia e ultimamente estou estudando doutrinas e religiões orientais.Apesar de não parecer, eu tenho uma tremenda habilidade para falar em público, principalmente com a platéia cheia. Quanto mais gente melhor.A DANÇA: é minha asa. Dançando consigo voar, plainar...Gosto de danças nas suas diversas formas, só não me convide pra dançar Funk.ARTES PLÁSTICAS: a pintura , seja ela qual for é o nosso retrato do dia. Gosto muito de pintar. Me relaxa e eu viajo nas cores. Gosto de Monet, Picasso e Portinari. Acho Da Vinci incrível, mas não faz meu estilo. Bem, adoro artistas desconhecidos, aliás são os que eu mais gosto.Quando a gente cresce, percebe que ser uma constante na vida é praticamente impossível. Nós somos seres de "altos e baixos", principalmente nos dias de hoje, onde as doenças mentais cresceram absurdamente. As pessoas hoje são tão preocupadas, correm de um lado para outro, as crianças sofrem de hiperatividade, ninguém tem gentileza no trânsito, ninguém tem mais paciencia.O mundo precisa urgente de uma palavrinha mágica chamada TOLERÂNCIA! A TOLERÂNCIA no meu ponto de vista, é a bola da vez desse século. E quando digo tolerância falo de sentido amplo. Tolerancia no trânsito, no trabalho, dentro de casa, ao telefone, com amigos, com estranhos, com a natureza, com o planeta, com VOCÊ! Sim. Temos que ser tolerantes com nós mesmos também. Se eu não consigo ser tolerante e amável comigo mesma, como conseguirei ser com quem está ao meu lado?É isso, aos poucos todos que entrarem ou participarem desse blog irão me conhecer um pouquinho melhor e o mais importante, se esforçarão para ser pessoas melhores.COMO NÃO POSSO MUDAR O MUNDO, VOU COMECAR PELAS PESSOAS!Larissa

Loading...