quarta-feira, 9 de julho de 2008


TEATRO DE FANTOCHES


Pensar demais ás vezes dói e as coisas da vida vão surgindo como se não fôssemos donos do nosso próprio destino, como se fôssemos fantoches de um teatro de bonecos. A platéia cheia, todos aplaudem o espetáculo, os pobres atores bonecos saem de cena num simples gesto gentil com a cabeça e voltam para suas caixas até o próximo número começar. Um dia eles não servirão mais e outros tomarão seu lugar.
E damos graças só por viver. E damos graças por comer. E damos graças por respirar o ar impuro. E damos graças pela cama quente. Ou não damos mais graças, ou não aparecemos mais. Não somos mais os autores da vida. Somos bonecos. Crianças, jovens, adultos, velhos, todos juntos pisando num palco de areia. Cuidado para não escorregar! E a vida leva essa gente. E a vida me leva...num sopro só.
E devo dar graças por estar viva?
QUERO MAIS QUE CAMA, MAIS QUE COMIDA, MAIS QUE ÁGUA, MAIS QUE RESPIRAR. Quero ser a capitã da minha alma, a senhora do meu destino. Fazer um drama ou uma comédia só minha, uma novela inteira, um capítulo, um ato, ou somente uma voz.
E se não der pra ser uma voz, que seja um eco, um só...somente uma vez!
Quero tirar as asas da minha mente cansada e coloca-las nas costas. Se sei voar com as asas da mente, sabe-se lá o que farei com asas no corpo. Não quero asas de anjo. Quero asas de borboleta, asas leves e coloridas, onde pairam a gravidade da terra e planar sobre jardins e labirintos de flores. Quero asas pra voar sobre os lírios, sobre mãos curiosas de pequenas crianças. Quero voar baixo, sem pretensões de grandes aventuras. Quero voar junto com a folha de papel espirrada pelo vento. E de vez em quando quero abrir as asas e deixar só por conta do vento. Sem planos definidos, rotas, trajetórias bem boladas, caminhos tortuosos e estradas sem fim. Só voar, mesmo que seja no concreto, onde der, sei lá.
Sei que haverá dias de chuva, tempestades, dias bons e ruins. Haverá o sol morno e haverá o sol quente. Haverá a sombra, a árvore, o mel. Haverá a pedra perto do riacho doce para admirar. Haverá a cadeira do presidente de algum lugar pra descansar. E ali pousar enquanto o poder o faz tomar decisões. E a minha plena decisão de ali descansar, um dia o fará olhar para o lado e me ver. Majestosa, colorida, leve...e qualquer dia ele num gesto de intuição, me verá flutuando sobre seu trono de poder e sorrirá. Então suas decisões serão outras, pois todo o cinza transcenderá as leis do mundo. E ele também terá asas. Ele talvez queira uma maior, não sei, mas viajará por estradas sem rotas também, enquanto outro toma seu lugar. Porque ele não serve mais... ficou muito feliz!
E assim não faremos mais parte do teatro de fantoches, faremos parte da nossa própria vontade. Faremos parte de um mundo onde por fim, não lembraremos mais das palavras dos inimigos, mas sim do silêncio dos amigos!
Simplesmente porque deixamos de ser bonecos. Simplesmente porque aprendemos a voar!


Larissa-2008

Um comentário:

  1. Fiquei emocionado ... simplesmente lindo!

    Vindo de você, não podia esperar outra coisa.

    Bjs.

    Marcelos

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui.Sua opinião é muito importante!
Se quiser fazer parte desse Blog, entre em contato com larissavaz.fadel@gmail.com

" a lição sabemos de cor, só nos resta aprender!"
Larissa

O INÍCIO

Tudo começou pelas idéias e confesso que demorou até chegar ao papel. Depois de alguns anos, os papéis ficaram amarelados e resolvi digitar tudo. Então percebi que era muita coisa, muitos sentimentos, muitas flores e muitos espinhos.O incentivo que dava à minha mãe para publicar um livro, passou ser o meu incentivo.Nos meus escritos, por assim dizer, tem um pouco de tudo, um pouco da vida, falo da natureza, das coisas simples, sofisticadas, de mim, de alegrias, triztezas, decepções, drogas e vontade de ver pessoas cada vez melhores a fim de construir , ou reconstruir esse mundo para legá-lo a gerações futuras.Sou jurista e não advogada. Não advogo porque não é minha vocação. Adoro ler e estudar, por isso migrei para a área científica do Direito.A minha verdadeira vocação é ARTES. De todo tipo: Dança, teatro, Artes plásticas, música, fotografias!Sou do tipo de tem ALMA DE ARTISTA. Sou cheia de ideais e esse fato muitas vezes me leva à profundas decepções, mas também tem suas recompensas. Então fico com as recompensas!Tenho um propósito bem latente hoje: O COMBATE ÁS DROGAS. A Droga é um Câncer e não prejudica e mata só quem a utliliza, destrói também a família.Poesia, hoje para mim, é um modo de vida. Uma maneira que encontrei para descarregar sentimentos oprimidos. Então escrevo muito. Tenho poesias mirabolantes até as mais singelas.MÚSICA: ahhhh, a música, o que seria do ser humano sem uma melodia. Apesar de já ter feito piano, violão e flauta, não toco, mas gosto de ouvir as mais variadas canções e os mais variados artistas. Comecei a valorizar também a música sem rótulos. Sim. Aquele que seu vizinho compôs e você acha bonita, aquela que você compôs e gostaria de gravar. Eu, por exemplo tenho várias letras de músicas, só falta a melodia-por pouco tempo!O verbo desse blog é FAZER!Já deixei de ficar de braços cruzados a muito tempo. Sempre fiz. No meu tempo...mas sempre fiz!Consigo hoje, pensar 10 vezes antes de falar, pois posso magoar alguém ou minha fala pode ser fruto de uma mentira ou fofoca, então procuro cultivar a fala amorosa e deixar de lado a fala imprópria e inadequada.Por muitos anos analisei a palavra PERDÃO; e sinceramente acho muito difícil perdoar. Então arranjei uma saída: NÃO ME OFENDER! Dessa forma não preciso perdoar, porque não fui ofendida.Gosto muito de ler e estudar filosofia e ultimamente estou estudando doutrinas e religiões orientais.Apesar de não parecer, eu tenho uma tremenda habilidade para falar em público, principalmente com a platéia cheia. Quanto mais gente melhor.A DANÇA: é minha asa. Dançando consigo voar, plainar...Gosto de danças nas suas diversas formas, só não me convide pra dançar Funk.ARTES PLÁSTICAS: a pintura , seja ela qual for é o nosso retrato do dia. Gosto muito de pintar. Me relaxa e eu viajo nas cores. Gosto de Monet, Picasso e Portinari. Acho Da Vinci incrível, mas não faz meu estilo. Bem, adoro artistas desconhecidos, aliás são os que eu mais gosto.Quando a gente cresce, percebe que ser uma constante na vida é praticamente impossível. Nós somos seres de "altos e baixos", principalmente nos dias de hoje, onde as doenças mentais cresceram absurdamente. As pessoas hoje são tão preocupadas, correm de um lado para outro, as crianças sofrem de hiperatividade, ninguém tem gentileza no trânsito, ninguém tem mais paciencia.O mundo precisa urgente de uma palavrinha mágica chamada TOLERÂNCIA! A TOLERÂNCIA no meu ponto de vista, é a bola da vez desse século. E quando digo tolerância falo de sentido amplo. Tolerancia no trânsito, no trabalho, dentro de casa, ao telefone, com amigos, com estranhos, com a natureza, com o planeta, com VOCÊ! Sim. Temos que ser tolerantes com nós mesmos também. Se eu não consigo ser tolerante e amável comigo mesma, como conseguirei ser com quem está ao meu lado?É isso, aos poucos todos que entrarem ou participarem desse blog irão me conhecer um pouquinho melhor e o mais importante, se esforçarão para ser pessoas melhores.COMO NÃO POSSO MUDAR O MUNDO, VOU COMECAR PELAS PESSOAS!Larissa

Loading...